23 de julho de 2012

Vídeos| Alinne Moraes participa de entrevista coletiva sobre peça em São Paulo

Share & Comment


Alinne Moraes se reuniu com a imprensa no Teatro Raul Cortez, em São Paulo, na tarde desta segunda-feira (23), para falar sobre o espetáculo "Doroteia", escrito por Nelson Rodrigues e protagonizado por ela. A peça chega a São Paulo após uma temporada no Rio de Janeiro.

Esta é a segunda experiência de Alinne nos palcos. A primeira foi em 2007 com “Dhrama – o incrível diálogo entre Krishna e Arjuna”, com direção de João Falcão. Sobre o assunto, a atriz disse que ainda tem muito a aprender. "Minha única formação é a prática. Comecei em TV, já fiz cinema, essa é a minha segunda peça. Acho que as artes se complementam. Tenho muito a aprender no teatro", disse.
Alinne, que começou sua carreira como modelo, comemorou o fato de não ter deixado seu talento atrás da beleza."Podia ficar no estereótipo da mulher bonita, mas não. Tive diferentes oportunidades e é um privilégio. Fiz mãe solteira, lésbica, tetraplégica. É muito bom poder representar papéis tão diferentes", afirmou.


Sobre sua personagem, Doroteia, que é uma linda mulher que larga a prostituição após a morte do filho. Alinne contou que se identificou com ela em alguns aspectos. "Assim como Doroteia, já tentei me disfarçar, tentei me enfeiar, colocava boné para me passar despercebida dos pedreiros (risos). Estava iniciando sexualmente, falando, tudo o que eu queria era passar despercebida".
Mas a atriz ressalta que entendia a beleza como positiva.  "Ao mesmo tempo que tentava passar despercebida, eu sabia que a beleza podia ser uma aliada. Trabalhei como modelo desde cedo, comecei com 12, 13 anos. Morei fora, comprei a casa da família, mas não podemos ficar só na beleza. Beleza tem prazo de validade", concluiu.

Quando questionada qual era sua referência para fazer uma mãe que perde um filho, já que ainda não teve nenhum filho, Alinne disse que já se pegou "pensando em muita coisa, inclusive no meu cachorro que morreu há cinco anos. "Lógico que eu também já perdi outros parentes, mas para trazer essa emoção eu já me peguei pensando no cachorro (risos)", disse.

Agora em cartaz em São Paulo, Alinne disse que terá mais tempo de visitar Sorocaba, cidade onde nasceu. "Minha mãe está esperando por isso. Ela não pode ficar indo ao Rio de Janeiro porque é professora de escola pública, agora que vou estar em São Paulo vai facilitar", completou.

Educada, Alinne foi discreta ao falar sobre sua vida particular quando questionada sobre o namoro. "Prefiro não falar, já tenho tenho a vida tão exposta", pediu. Atualmente ela namora o diretor Mauro Lima.
  • Volta à televisão

Entre novembro e dezembro Alinne volta à televisão na série que tem como título provisório "Como Aproveitar o Fim do Mundo". "Recusei o convite para uma minissérie e duas novelas, entre elas "Guerra dos Sexos". Precisava fazer teatro, precisava respirar um pouco. Na Globo passamos dias sem folga. Na época de "Viver a Vida" eu cheguei a ficar 16 dias direto sem folgar. Mas eu e a Globo temos um casamento bom. São doze anos. Fui conversar com eles e chegamos a essa conclusão de que seria satisfatório eu ficar um tempo afastada", afirmou. A atriz disse que ainda não começou a gravar o seriado, mas já leu o roteiro. "Está muito engraçado, me divirto muito", contou.

  • Espetáculo
Considerada por muitos como uma peça "maldita", já que são poucos os registros de montagens desta farsa rodriguiana, "Doroteia" foi escrita especialmente para Eleonor Bruno, mãe da atriz Nicette Bruno, que manteve um romance com Nelson Rodrigues por dois anos ao final dos anos 40. Ela conheceu o autor quando levava a filha, então com 13 anos, para os ensaios de "Anjo Negro", outra das famosas peças do dramaturgo. Foi a partir deste romance que Nelson desenvolveu o enredo do texto, que chama a atenção pela sua morbidez, pelo mistério que envolve a obra e pela transgressão de Nelson.
A peça conta a história de uma mulher que abandona a prostituição após perder o filho e procura a família como salvação. Chegando à casa de suas primas, D. Flávia, Carmelita e Maura, todas viúvas, depara-se com três figuras medonhas que a repudiam por conta de sua beleza e lhe impõem uma condição: que ela fique feia. As primas de Dorotéia são todas feias e acreditam que os desejos da carne são a perdição da família. Para interpretar essas mulheres cheias de pudores, o diretor João Fonseca convocou três homens - os atores Gilberto Gawronski, Alexandre Pinheiro e Paulo Verlings, como uma forma de trazer o universo masculino para dentro da obra e transformar essas mulheres em monstros destituídos de vaidade e feminilidade.

Quem

-Vídeos:  
  •  Muito Mais
     
    (A partir de 4:10)
  •  FecomercioSP

  • Guia da Semana 

___________________________________________________________________________________

[...]

 Dorotéia, entretanto, obrigou Alinne Moraes a deixar a vaidade de lado. A atriz considerou essa lição como um grande desafio, já que não contaria com maquiagem e nem próteses. “Eu fico feia em apenas 20 segundos nessa peça, sendo que não teve como olhar no espelho e montar uma cara, sabe? Veio de dentro para fora, eu tive que acreditar que eu estava feia para que o público também pudesse acreditar. É a fé cênica”, justificou. “E não tem peso algum nisso. Estou me divertindo muito com esse trabalho. Estou lá no palco para ser feliz”, concluiu.
Caras

___________________________________________________________________________________

Não há como negar que Alinne Moraes é uma das estrelas mais desejadas da televisão. Nas novelas, ela sempre interpreta mulheres sensuais, mas nenhuma das personagens era apoiada simplesmente na beleza da atriz. Em seu novo desafio, a atriz vai subir ao palco do Teatro Raul Cortez, no centro de São Paulo, no papel de Doroteia, uma repudiada pela beleza que abandona a prostituição após perder o filho e procura a família como salvação.

"É um texto muito conflituoso tal como outros personagens que já fiz. A Doroteia eu sempre quis fazer. É a minha primeira personagem que fala de beleza, e eu nunca tinha feito algo assim. Eu poderia ter ficado no estereotipo de mulher bonita, mas isso não aconteceu."

Alinne começou cedo sua carreira como modelo e confessa que, naquela época, tentava se esconder atrás de um boné para tentar passar despercebida.

“Quando eu era modelo, eu tentava passar despercebida e quando eu ia pegar ônibus, eu colocava um boné para tentar ficar um pouco feia. Passava nos lugares e as pessoas nem sabiam quem eu era. Só que essa moeda tem dois lados. Fiz uma carreira de modelo e eu consegui minha primeira personagem em Coração de Estudante, da Globo, que era o papel de uma mulher bonita, mãe solteira.”

Ela reconhece que a beleza em si não é para sempre e afirma que não tem medo de ficar velhinha, toda enrugada, já que este será um artifício para novos personagens.

“Não dá para ficar só na beleza. A estética tem um prazo de validade. Não tem como mudar. Futuramente, você vai precisar de suas rugas para emocionar o público e mostrar o que a personagem passou.”

Sobre seu namorado ‘secreto’, Mauro Lima, Alinne não quis aproveitar a oportunidade para assumir o relacionamento e preferiu dizer que quer preservar sua vida pessoal.

“Essas coisas não costumo responder. É bom preservar a vida que já é tão exposta”, diz ela que foi flagrada por um paparazzo enquanto beijava o rapaz dentro de um restaurante.

O espetáculo

João Fonseca, o diretor de Doroteia, que estreia no próximo sábado (28), disse que está muito feliz de poder fazer um texto de Nelson Rodrigues no ano em que o dramaturgo completaria 100 anos de vida.

“Se não me chamassem para fazer Nelson nesses 100 anos, eu ficaria arrasado! Muito chateado! A Doroteia é a mais específica e diferente de todas as outras. Tentei trazer para este espetáculo para o contemporâneo, já que ele não se passa em nenhuma época ou lugar. É uma peça muito aberta e pode-se fazer o que quiser. O linguajar não fala do subúrbio carioca  como as outras peças do Nelson. Esta é tudo em segunda pessoa do plural, o que é muito difícil, e fica claro que não é algo realista.”

Esta é a segunda peça que Alinne atua e a primeira em São Paulo, tendo a primeira ficado em cartaz somente no Rio de Janeiro.

“Minha única formação é a prática na televisão. A tevê, cinema e teatro se esbarraram, mas são diferentes. O teatro me traz muitos benefícios. É minha segunda peça e ainda tenho muito o que aprender dentro do teatro.”

O Fuxico 











Tags: , ,

2 Comentários:

Anônimo disse...

LINDA, gostei de todas as fotos esta com cara de menininha.

Claudiana (25/11/2010) disse...

Boa tarde, tudo bem?
Entrei para conhecer seu cantinho. Gostei muito de tudo que vi. Parabéns o blog está lindo. Já estou seguindo. Depois passa lá no meu cantinho também, será um prazer, ótima semana pra vc, bjs
Claudiana
http://encantosempontocruz-barbie.blogspot.com

 

Mural de Recados

Fan Page no Facebook

Projetos

→ Rock Story (Novela) - No ar
→ 'Os Saltimbancos Trapalhões' (Em Cartaz)
→ 'A Paixão Segundo João' (Cinema)

Tumblr

Instagram Oficial @AlinneMoraes

Copyright © Alinne Moraes Fãs | Designed by Templateism.com